Com casa cheia, Jungle Fight 125 consagra Arcângelo Anjo e Wagner Reis

0
153
Arcângelo e Wagner mantiveram seus cinturões - Foto: Leonardo Fabri

Cerca de 8 mil pessoas lotaram o ginásio Mauro Pinheiro, no Ibirapuera, na capital paulista, neste sábado (27/04), para acompanhar o Jungle Fight 125. E a inflamação do público refletiu dentro do cage, que só registrou duelos quentes. Prova disso é que nenhuma das 12 lutas foi para a decisão dos jurados.

Arcângelo Anjo – Foto: Leonardo Fabri

Na luta principal, o campeão linear dos pesos leves, Arcângelo Anjo, como já havia acontecido em lutas anteriores, começou levando uma enorme desvantagem contra o campeão interino, Marcelo Medeiros. Com uma sequência de socos com ênfase na mão esquerda, Medeiros aplicou flashdown, knockdown e atordoou Arcângelo, que só não foi nocauteado ali no primeiro round porque o gongo soou.

Vale mencionar que todos os três jurados marcaram 10 a 8 a favor de Marcelo Medeiros no primeiro round. Porém, mais uma vez, Arcângelo Anjo ressurgiu das cinzas e, logo no começo do segundo assalto, se embolou com Medeiros, pegou as costas, encaixou o mata-leão e garantiu o retorno do cinturão para o Amazonas. Com o triunfo, o campeão unificado dos leves chega a 11 vitórias em 15 lutas.

Wagner Reis – Foto: Leonardo Fabri

Campeão peso-mosca, Wagner Reis manteve o cinturão de forma mais enfática, sem sustos. Contra um habilidoso Luiz Paulo Barbosa, que já o havia vencido anteriormente, o mineiro surpreendeu com um chute giratório na linha de cintura. Nocaute aplicado e título de volta para Nova Era, em Minas Gerais. Agora o campeão peso-mosca anota oito vitórias em 11 lutas.

Presidente do Jungle Fight, Wallid Ismail exaltou o show dado pelos 24 lutadores que subiram à arena Jungle e aproveitou para anunciar a próxima edição, a de número 126, no dia 25 de maio, em Brasília.

“O Jungle Fight 125 foi um grande sucesso, com grandes lutas e casa cheia. Agradeço a todos que compareceram aqui e também ao prefeito Ricardo Nunes e ao vereador George Hato, homens públicos que entendem e investem no MMA e nos esportes como ferramenta de transformação social”, disse Ismail.

“Agora vamos para a capital federal. Aproveito para convocar todos os guerreiros do Distrito Federal para que treinem porque o Brasileirão do MMA está voltando para a capital do país. Brasília sempre revelou grandes lutadores e, graças ao governador Ibaneis Rocha e ao secretário de Esportes Renato Junqueira, o MMA do Cerrado vai voltar a ter a visibilidade que merece”, completou.

Presente no Jungle Fight 125, o secretário de Esportes de Brasília reforçou o convite aos lutadores e também aos fãs de MMA do Distrito Federal.

“Tenho certeza que o evento no Distrito Federal vai ser um grande sucesso como foi hoje em São Paulo. Aguardo todo mundo no dia 25 de maio no ginásio Nilson Nelson. Vamos colocar 15 mil pessoas lá dentro. Agradeço ao nosso governador, à vice-governadora Celina Leão e ao deputado federal Júlio César, que é um grande patrocinador do esporte. Vamos fazer uma festa linda”, prometeu Junqueira.

O Jungle Fight 126 será transmitido pela TV Globo, Sportv e Combate.

Confira abaixo os resultados da edição deste sábado:

Jungle Fight 125
Ginásio Mauro Pinheiro, São Paulo-SP
27 de abril de 2024

Arcângelo Anjo venceu Marcelo Medeiros por finalização a 1min44s do R2
Wagner Reis venceu Luiz Paulo Barbosa por nocaute técnico aos 3min32s do R1
Jeffinho Super Choque venceu Gabriel Lopes por finalização aos 2min08s do R2
Erianny Castañeda venceu Karina Caetano por nocaute técnico aos 2min54s do R2
Vanderlei Soul Glow venceu Marcos Dal Jovem por nocaute técnico aos 3min31s do R2
Bruno Sarrada venceu Lucas Karateca por nocaute técnico aos 3min14s do R2
Rafael Montouro venceu Nathan Pitbull por finalização aos 4min16s do R1
Joelson Pantoja venceu Jaimison Cisterna por nocaute técnico aos 4min35s do R1
Alef Martins venceu Guilherme Alves por finalização aos 4min50s do R1
Joel Cruel venceu Vitor Morais por finalização aos 4min10s do R2
Leonardo Sabino venceu Vanderson Martins por nocaute aos 4min39s do R1
Djalma Morais venceu Matheus Barros por nocaute técnico aos 2min38s do R3