Dobradinha do GLORY em Chicago tem Brasil com 100% de aproveitamento

Irmã de Alex Poatan, Aline Pereira foi uma das vitoriosas - Foto: Divulgação/Glory
Irmã de Alex Poatan, Aline Pereira foi uma das vitoriosas – Foto: Divulgação/Glory

Chicago, nos Estados Unidos, recebeu pela primeira vez dois eventos consecutivos do GLORY. As edições 71 e 72 aconteceram sexta e sábado, repletas de boas lutas, recordes e estatísticas positivas.

O Brasil foi representado por Aline Pereira e Jady Menezes na categoria super-galo (até 55.3kg). A primeira entrou em ação no GLORY 71, e precisou de apenas oito segundos para faturar o primeiro knockdown sobre a norte-americana Crystal Lawson, com um direto de direita.

Com a oponente atordoada, um monólogo prosseguiu nos 50 segundos seguintes, e mais dois knockdowns decretaram a vitória por nocaute técnico para a irmã de Alex ‘Poatan’ Pereira, que segue invicta após duas atuações na organização.

Ex-campeã da categoria, a paranaense Jady Menezes vinha de duas derrotas e encarou a tailandesa Chomannee Sor Taehiran, no GLORY 72.

Oriunda do muay thai, a lutadora asiática exagerou nos clinches contra a tática sólida de socos e chutes baixos da brasileira. O anti-jogo prevaleceu nas duas primeiras parciais, até que Jady encurralou a adversária contra as cordas, manteve a curta distância e conseguiu o nocaute após uma combinação de jab e gancho no plexo, no terceiro round.

Festival da eficiência

O GLORY 72 também contou com fato inédito. O maior número de lutas definidas por via rápida (nocautes ou nocautes técnicos) computados em uma edição: foram seis em dez lutas.

Entre eles, o KO mais rápido da história da organização até agora. John King precisou de apenas 10 segundos para conectar três socos e mandar Tom Matlon para a lona, totalmente desacordado. Brutal!

Títulos

 O GLORY 71 colocou o cinturão super-galo em jogo na atração principal. Após muitas alternâncias de vantagens durante os cinco rounds, a campeã Anissa Meksen (França) perdeu o cinturão – e a primeira luta da trilogia – para a norte-americana Tiffany VanSoest, por decisão unânime.

O título dos penas (até 65kg) liderou a edição 72. O campeão Petchpanomrung (Tailândia) fez luta truncada contra o desafiante Kevin Vannostrand (EUA). Repleta de clinches e jogo de abafa, os árbitros decretaram o empate majoritário após cinco rounds que, pelo regulamento, manteve o cinturão com o campeão.

No Brasil, o GLORY sempre é transmitido Ao Vivo pelo Youtube (Preliminares e Super Fight Series) e DAZN (Numbered Series).

Resultados Oficiais:

GLORY 72

Petchpanomrung venceu Kevin VanNostrand por empate majoritário (resultado garante permanência do cinturão ao campeão)
Ryot Waller venceu Chris Camozzi por decisão dividida
Jady Menezes venceu Chommanee Sor Taehiran por KO
Bailey Sugden venceu John Morehouse por TKO
Serhii Adamchuk venceu Abraham Vidales por TKO
Charles Rodriguez venceu Taylor Krahl por TKO
Nathan Ward venceu Justin Greskiewicz por decisão unânime
Joe Taylor venceu Derek Loffer por KO
John King venceu Tom Matlon por KO
Kanat Tassybay venceu Ben Acosta na decisão dividida

GLORY 71

Tiffany van Soest venceu Anissa Meksen por decisão unânime
Benjamin Adegbuyi venceu D’Angelo Marshallpor decisão unânime
Mike Lemaire venceu Malik Watson-Smith por decisão unânime
Lowrant-T Nelson venceu Ammari Diedrick por decisão unânime
Arkadiusz Wrzosek venceu Demoreo Dennis por TKO
Nick Chasteen venceu Seijo Imazaki by TKO
Aline Pereira venceu Crystal Lawson por TKO
Tom Jenkins venceu Andrew Navickis por KO
Arthur Sorsor venceu Matt Zilch por decisão dividida
Justin Moss venceu Kuchlong Kuchlong por decisão dividida