Giácomo Lemos faz sua primeira defesa de cinturão do AFC na Coréia do Sul: ‘Vou atropelar’

Invicto no MMA, peso pesado assinou com o UFC- Foto: Divulgação / AFC
Invicto no MMA, peso-pesado terá pela frente o sul-coreano Jun Soo Lee no AFC 11 – Foto: Divulgação / AFC

O catarinense Giácomo Lemos está invicto no MMA após cinco lutas, sendo quatro vitórias conquistadas por nocaute e uma por finalização. Apesar da curta carreira, o “Viking” já ostenta um cinturão importante. Ele é o atual campeão dos pesados do Angel’s Fighting Championship (AFC), título conquistado em janeiro com um nocaute sobre Sang Soo Lee, naquela que foi a sua estreia em um evento internacional. E sua primeira defesa de título acontece no dia 8 de abril, na madrugada de sábado para domingo, quando ele terá pela frente o sul-coreano Jun Soo Lim no AFC 11, evento que será realizado em Seul, na Coréia do Sul. Ciente do cartel de 24 lutas do seu oponente, o brasileiro já sabe o que fazer para ter o seu braço erguido no final do combate.

“A expectativa é sempre boa, estou confiante. Meu oponente é um dos mais fortes que já enfrentei até hoje. Fisicamente ele é bem grande, tem muita força bruta, além de mãos pesadas. Ele é mais striker, tem várias lutas de Boxe profissional, além de lutas de K1. Um cara muito perigoso para se parar na frente. A minha estratégia para vencer essa luta é atropelá-lo como um trem desgovernado, levando a luta para o solo o quanto antes”, contou Giácomo.

Essa será a segunda luta internacional de Giácomo. E mais uma vez em Seul. Na primeira vez ele trouxe na bagagem o cinturão, o que amenizou o perrengue que teve que enfrentar nas 30 horas de voo da capital sul coreana até o Brasil, quando teve que alternar cochilos no banheiro da aeronave e momentos em pé no corredor – ele tem 1,90m e voou de econômica. Dessa vez ele antecipou o seu voo e ganhou um dia a mais para se recuperar da longa e cansativa viagem.

“Ganhei um dia a mais para me recuperar em relação a última vez, mas será desgastante assim mesmo. Porém, vejo como a chance de mais uma vez mostrar ao mundo que em uma pequena ilha ao sul do Brasil mora um viking, e que ele está pronto para atropelar quem cruzar o seu caminho”, concluiu o lutador de 29 anos.