No aniversário da Lei Maria da Penha, LBV entrega kimonos para professoras do projeto Empoderadas

Projeto atende a mulheres no estado do RJ - Foto: Leonardo Fabri
Projeto atende a mulheres no estado do RJ – Foto: Leonardo Fabri

Entusiasta das artes marciais como ferramenta de transformação social, a Legião da Boa Vontade – em parceria com a Super Rádio Brasil AM 940 e a Prime Esportes – doou diversos kimonos para as professoras do Empoderadas, projeto social apoiado pela Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro, que dá assistência a mulheres vítimas de violência e as ensina técnicas de defesa pessoal . A entrega das armaduras aconteceu nesse final de semana, na academia Tico Jiu-Jitsu, na Ilha da Gigóia, no Rio de Janeiro, em meio a comemoração de 16 anos da criação da Lei Maria da Penha.

Além da entrega dos kimonos, o local também foi palco de demonstrações de técnicas de defesa pessoal, interação entre professoras e alunas e palestras da psicóloga Nathalie Bezerra de Mello e de policiais militares do programa Patrulha Maria da Penha. Líder do Empoderadas, que hoje atende a cerca de 4 mil mulheres no estado do Rio de Janeiro, a faixa preta de Jiu-Jitsu Erica Paes exaltou a parceria entre as instituições. 

“Além dos kimonos, a gente também conseguiu apoio da LBV para fortalecer as atendidas pela Patrulha Maria da Penha, então a gente tem conseguido ajudar muitas famílias com cestas de alimentos e kits de limpezas graças a esta parceria iluminada. Já foram quase 10 toneladas de mantimentos entregues em todo o estado do Rio”, destacou a ex-lutadora de MMA, que fundou o projeto em 2015. 

Integrante do Patrulha Maria da Penha, a cabo PM Nathália ressaltou a importância de ações do tipo para frear o aumento da violência contra a mulher, que teve uma alta neste período de pandemia. Segundo ela, programas como o Empoderadas são importantes para elevar a confiança das mulheres.

Campanha sinal vermelho foi lançada em junho – Foto: Leonardo Fabri

“É um excelente projeto porque ele agrega. Além de trazer informações, ele ensina as mulheres a se defenderem com aulas de defesa pessoal gratuita. Isso é muito importante, não apenas para ensiná-las a se defender, mas também para elevar a autoestima”, disse a policial, que também falou da campanha Sinal Vermelho. 

“Com um ‘X’ vermelho desenhado na palma da mão, seja com caneta, batom ou qualquer outra coisa, a mulher vítima de violência pode ir a uma farmácia e pedir socorro sem se expor. Treinados, os atendentes entrarão em contato com a polícia. No site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem o nome das farmácias participantes”, explicou. 

Faixa preta precisa de ajuda

Uma das professoras do Empoderadas teve a casa incendiada no início deste mês e acabou perdendo tudo o que tinha. Para ajudá-la, o projeto está recebendo doações de móveis, objetos domésticos, roupas e também em dinheiro. Quem puder ajudar pode entrar em contato através do instagram @empoderadas.rj ou do telefone 24 992932125 (falar com Marjory Santos).