Bethe Correia dedica sua vitória no UFC a sua irmã que luta contra o câncer de mama

A vitória de Bethe Correia no UFC após três anos e onze dias significou para a lutadora peso-galo muito mais do que apenas uma partida ganha. A ex-desafiante ao título do UFC teve que superar a sua primeira rodada perdida contra Sijara Eubanks nas preliminares que aconteceram na Cidade do México, na noite de sábado. A lutadora ganhou por decisão unânime. Correia classificou sua vitória como “satisfatória”, e que por pouco não deixou a partida devido aos danos.

“Eu tive um treinamento complicado”, disse Correia após a vitória. “Tive uma lesão na região lombar e quase desisti da luta. Não pude andar por três dias. Fui ao hospital e as pessoas ao meu redor queriam que eu cancelasse a luta, mas não as deixei fazer isso. ” Para piorar, a “Pitbull” teve um momento difícil antes da luta. “ Eu vomitei o dia todo no sábado até uma hora antes da luta ”, disse Correia. “Eu estava praticamente em jejum durante a luta, mas ainda consegui voltar e vencer. Eu realmente tinha motivos para comemorar”.

Em todas as suas lutas anteriores no UFC, Correia havia vencido apenas uma das seis disputas. Após sua nova vitória, a lutadora acredita que possa servir de inspiração para a sua irmã Tatiana Correia, que está lutando contra o câncer de mama. “Eu estava pensando em minha irmã durante todo o tempo, pois ela estava fazendo quimioterapia, perdeu cabelo e eu realmente gostaria de estar lá com ela nesse processo”, disse Bethe.

Uma luta desafiadora

Com atuação irregular, mas bom preparo físico na segunda metade da luta, Bethe Correia deu um fim a suas duas derrotas e voltou a vencer no UFC, derrotando a americana Sijara Eubanks. No início da partida, Sijara Eubanks deferiu um bom golpe de direita na cabeça de Bethe, que absorveu e voltou à luta logo após.

A brasileira tentava atacar, mas deixava espaços na defesa, permitindo que a americana contra golpeasse com jabs. Correia ainda conseguiu aplicar dois bons golpes antes de ser derrubada por Eubanks. Estava difícil se livrar da rival, o que fez com que a “Pitbull” só tentasse se defender dos socos que recebia de cima para baixo. Assim terminou o round em desvantagem.

As cifras apenas subiam quanto mais passavam os momentos da luta das rivais, e as plataformas de apostas online foram à loucura quando Bethe voltou agressiva no segundo round, demonstrando resistência e quebrando a defesa americana. Com uma melhor postura, conectando golpes e evitando as tentativas de queda de Eubanks, a brasileira conseguia atacar a adversária que já dava sinais de desgaste. O terceiro round começou com Bethe Correia usando jabs para atacar Eubanks e ganhando mais confiança na luta até alcançar a vitória por decisão.

Fonte de inspiração

Bethe se afastou da irmã por três meses. “Acompanhei os tratamentos à distância e ao ver os sintomas que ela estava sentindo, notei como ela era forte. Eu estava lutando contra minha adversária e ela estava lutando contra o câncer. Isso me motivou muito. Isso me deixou mais forte. Essa alegria é para ela e minha família”, diz Bethe. A campeã irá passar alguns dias no México antes de voar de volta ao Brasil para ficar com sua irmã, que passará por uma mastectomia.

Pitbull está confiante sobre o sucesso na luta contra o câncer de sua irmã, e não liga para os fãs que a criticaram por quaisquer motivos, até mesmo pela forma como ela dançou no Octógono. “As pessoas vão reclamar de tudo, até mesmo com a forma como eu comemoro”, disse Correia. “Eu sempre danço. Eu realmente me senti aliviada dessa vez. Passei por momentos difíceis, pessoal e profissionalmente, lidando com problemas de saúde, tendo prejuízos… Os brasileiros estavam exigindo muito de mim sem saber o que estamos passando”.