Campeão Europeu no peso, Victor Honório revela por que não disputou o absoluto

Victor Honório dominou o pesadíssimo - Foto: Favela Jiu-Jitsu
Victor Honório dominou o pesadíssimo – Foto: Favela Jiu-Jitsu

Victor Honório, 25 anos, confirmou seu favoritismo no Campeonato Europeu 2019, encerrado há duas semanas, em Odivelas, Portugal.  O faixa-preta da Qatar BJJ foi eficiente em em suas três lutas. A semifinal, por exemplo, contra Seif-Eddine e a disputa pelo outro, contra o americano Tanner Rice, foram as lutas que o campeão mais gostou durante a sua campanha.

“Eu gostei da semifinal com o gigante de 170kg do Marrocos. O professor dele veio falar comigo antes da luta e disse que ele era sparring do Teddy Riner e que seria uma boa luta. Eu também gostei da final com Tanner, que é um cara habilidoso e com uma boa guarda. Foi um bom começo de temporada”, comenta Honório para, logo em seguida, analisar a vitória sobre Tanner na finalíssima.

“Ele é um super pesado que gosta de lutar com os pesadíssimo, por que ele fica mais rápido que os grandões, mas eu também sou rápido e tenho facilidade com guardas flexíveis. Foi uma boa luta. Não conhecia o Tanner pessoalmente, mas o gringo é muito gente boa e fala português fluente”, explica.

Durante a competição, fãs de Honório sentiram a ausência do seu lutador predileto no absoluto, divisão aberta para todos os pesos. Questionado sobre a opção de não encarar o absoluto, categoria que disputa desde novo, Honório destrinchou a desistência do absoluto no Europeu.

“Meu foco é o Mundial, estou somente me mantendo em ritmo de competição. Vou lutar vários campeonatos esse ano, mas não vou me obrigar a lutar peso e absoluto, como sempre fiz. Esse ano quero ter performance no momento certo”, diz.

Mais adaptado a sua rotina de treinos e aulas em Doha, no Catar, Honório analisa a mudança no quesito ser atleta entre 2018 e 2019, sua atual temporada.

“Já estou mais adaptado na minha nova casa, estou em sintonia com meu coach e meus parceiros de treino. Estou motivado para fazer meu melhor ano. 2018 foi um ano incrível na minha vida pessoal e profissional. Eu trabalhei muito dentro e fora do Jiu-Jitsu e, na parte de performance, sabia que estava fazendo tudo possível na condição que eu tinha. Agora que tudo se organizou tenho mais tempo para me dedicar e sei que vou me apresentar em uma melhor versão e surpreender muita gente”, encerra o campeão.