Lucas Pinheiro fatura o tetra do Austin Open de Jiu-Jitsu e mira Pan-Americano na Califórnia

Manauara disputou seu primeiro torneio em 2019 e planeja disputar mais dois abertos antes do Pan - Foto: bjjmentality.com
Manauara disputou seu primeiro torneio em 2019 e planeja disputar mais dois abertos antes do Pan – Foto: bjjmentality.com

A primeira competição do ano foi dourada para Lucas Pinheiro. Com duas lutas e duas finalizações, o manauara faturou o tetracampeonato do Austin International Open de Jiu-Jitsu da IBJJF, realizado no último final de semana no Round Rock Sports Center, em Austin, no Texas. Para esta competição, o peso-galo precisou subir de categoria, já que não tinham oponentes inscritos em seu peso. Agora, o faixa-preta da Atos Jiu-Jitsu planeja disputar mais dois abertos antes do Pan-Americano, que acontece em março, na Califórnia.

“Infelizmente não tinha ninguém na minha categoria e eu tive que subir para o peso-pena. Senti um pouco a diferença no peso. Meus adversários eram bem mais pesados e mais fortes. Mas eu me senti muito bem na competição e deu tudo certo no final. Meu foco agora é o Pan-Americano, mas quero disputar mais dois campeonatos antes disso. O problema é que não tem ninguém inscrito na minha categoria até agora. Espero que entre alguém até lá”, disse Lucas.

Desde que se recuperou do acidente de carro que sofreu em 2016 em Dallas, onde reside atualmente, Lucas fez duas temporadas bem regulares. Mas ele ainda persegue o título do Pan-Americano e do Mundial na faixa-preta e, por isso, se juntou no meio do ano passado a equipe Atos, liderada pelo multicampeão mundial André Galvão. De lá pra cá, Lucas garante que seu jogo evoluiu e que se sente mais preparado para buscar os títulos que faltam em sua carreira.

“Depois que entrei na Atos, muita coisa mudou na minha vida. Não só no Jiu-Jitsu, mas também na minha vida pessoal. O André Galvão é uma inspiração pra mim. Ele é um mentor, um mestre e me dá muitos conselhos. O meu jogo está mudando muito, meu desempenho nos treinos está bem melhor. Graças a Deus está tudo indo bem. Eu sempre quis treinar com o André Galvão e lutar pela Atos e essa experiência está sendo única. Só tenho a agradecer a Deus por tudo que vem acontecendo e ao André pelos treinos e os conselhos que ele vem me dando”, concluiu Lucas.