De chapéu e ao som de baião, Potiguar representa o Brasil em busca de título na Rússia

Felipe Bunes Silva busca nona vitória seguida e uma chance pelo título do evento russo - Foto: Divulgação/ACB
Felipe Bunes Silva busca nona vitória seguida e uma chance pelo título do evento russo – Foto: Divulgação/ACB

Chapéu de couro e bandeira do Rio Grande do Norte. Mas, no lugar da sanfona, as luvas de MMA. Fã de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, Felipe Bunes Silva carrega o nordeste em seu coração e se orgulha de representar a sua terra natal. E ele terá mais uma oportunidade de mostrar um pouquinho de sua cultura para o mundo no próximo dia 25 de janeiro, quando ele estará em ação pelo evento russo Absolute Championship Akhmat (ACA), que acontecerá na Chechênia, na Rússia.

“Uso esse chapéu porque sou muito fã do Luiz Gonzaga. Gosto de representar a minha terra, o Nordeste. Na minha última luta entrei com a música ‘Respeita Januário’, o chapéu e a bandeira do Nordeste. E será assim que vou entrar em minha próxima luta”, contou Bunes.

Atleta da equipe Pitbull Brothers, Felipinho vem de oito vitórias seguidas. Ele terá pela frente no ACA 91 o russo Mansur Khatuev, que está invicto no MMA. Bunes estudou bastante o jogo do seu oponente e não quer deixar a luta para a decisão dos juízes.

“Vou buscar o nocaute ou a finalização. Não gosto de deixar nas mãos dos juízes, porque às vezes o resultado não sai como a gente espera. Meu oponente é um cara muito duro, ele tem cinco nocautes em sete lutas. Tem uma trocação muito boa, um Boxe muito bom, e chuta bem também. Vi todas as lutas dele, e ele também faz aquele jogo de grappling para cansar o adversário. Todas as lutas dele que eu vi, ele conseguiu um knockdown antes de definir a luta. Mas não me preocupa o fato dele ter uma mão dura. Eu também tenho uma mão boa e estou treinando muito”.

Apesar de estar preparado para lutar em pé, Felipe vem conquistando grandes resultados na luta de chão. O potiguar possuiu um cartel com dez vitórias e apenas duas derrotas. E, dos dez triunfos, sete ele venceu por finalização.

“Tenho sete finalizações na carreira. Sou faixa-preta de Jiu-Jitsu há dois anos, mas se eu tiver a oportunidade de nocautear, eu nocauteio. Se for para o chão e tiver a chance de finalizar, vou finalizar. Não tenho muita preferência, o que eu quero é a vitória”, disparou.

Título vago

O brasileiro luta na categoria dos moscas, que tinha como campeão Askar Askarov, que deixou a organização após seu contrato expirar. De olho no cinturão, Bunes acredita que uma boa vitória pode dar a ele a chance de disputar o título da categoria.

“Quando eu entrei no ACB, hoje ACA, tinha como foco ser campeão. Eu venho de uma boa sequência de oito vitórias. Espero que, vencendo essa luta, eles me deem a chance de disputar o cinturão. A minha última luta foi contra um cara invicto, que estava perto de disputar o título, e eu consegui vencer com uma bela finalização. Então, vencendo essa luta, acho que não tem como eles negarem uma chance pelo cinturão da categoria”, analisou.