Jéssica Andrade explica ‘estratégia trator’ que preparou para Rose Namajunas

Número 1 do ranking dos pesos-palhas do UFC, Jéssica Andrade enfrenta a atual campeã, Rose Namajunas, no dia de maio, provavelmente em Curitiba, capital de seu estado natal. Em bate-papo com a imprensa no início desta semana, a paranaense de Umuarama analisou o duelo contra a responsável por destronar a até então invencível Joanna Jedrzejczyk, abrindo uma nova era na categoria.

“A Rose é uma lutadora muito boa na trocação, a gente vê isso na evolução dela, inclusive nas lutas contra a Joanna. É uma menina muito rápida, tem uma envergadura maior que a minha, é mais alta e eu tenho que tomar cuidado com isso. A estratégia é tentar encurralar e achar o momento, pois tem momentos durante a luta em que ela para e tenta trocar. E toda vez que ela é colocada contra a grade, ela volta cansada no outro round. Então a estratégia é cansar ela e impor nosso jogo. Lutar com a Joanna, que só bate, corre e anda para lá, é mais fácil; mas lutar com um trator, que vai te pressionar o tempo inteiro, fica mais um pouco complicado.”

Fã declarada de Cris Cyborg, Jéssica também criticou o fato do UFC e de Amanda Nunes terem negado a revanche imediata à ex-campeã, e se comprometeu a ceder uma nova luta com Namajunas caso tenha o braço levantado no dia 11 de maio.

“Se eu vencer, se ela pedir a revanche, eu vou dar a revanche, porque eu acredito que todo mundo tem que ter uma segunda chance de mostrar o potencial, mostrar para o que veio.”