Marcel Adur ganha nova chance de disputar o cinturão e sonha em fazer história no Brave FC

Catarinense encara o americano José Torres esta sexta-feira (15) pelo título peso-mosca – Foto: Gleidson Venga

Uma nova oportunidade de disputar o cinturão peso-mosca do Brave Combat Federation bateu a porta de Marcel Adur. O catarinense, que disputou o título em novembro do ano passado e acabou perdendo na decisão dos juízes após cinco rounds duríssimos, busca nesta sexta-feira (15), no Brave FC 29, que será realizado no Bahrein, o cobiçado cinturão. Ele terá pela frente o americano José Torres, que tem passagens pelo UFC e pelo Titan FC. O atleta da Thai Brasil, que vem de vitória na organização, disse que já esperava por essa nova oportunidade.

“Sendo bem sincero, eu esperava sim uma nova chance pelo título. Na disputa de cinturão contra o russo Velimurad Alkhasov foram cinco rounds de luta, e ainda teve o fato dele ter ficado muito acima do limite da categoria (quase 3kg). Além disso, a minha última apresentação no Brave, em agosto, me credenciou a essa nova disputa de título. Não vejo muitos atletas se destacando na categoria no evento, e eu tenho cinco lutas pelo Brave, com quatro vitórias, sendo três delas por nocaute. Isso também influenciou bastante”, disse Adur.

Marcel tem o dobro de lutas de seu oponente no cartel. São 20 lutas até o momento, com 15 vitórias, 11 delas por nocaute, e apenas cinco derrotas. Mas ele não terá vida fácil para conquistar esse cinturão. Seu oponente, José “Shorty” Torres, foi bicampeão mundial amador pela iMMAF, além de ter sido campeão em dois pesos diferentes no Titan FC. São apenas 10 lutas de MMA, sendo nove vitórias e apenas uma derrota, que aconteceu no ano passado em sua única luta pelo UFC.

“Estudamos muito o jogo dele. Ele é um atleta bem duro e bem experiente também. Por mais que ele não tenha um número de lutas tão expressivo, ele já esteve em outras grandes organizações. Estou preparado e muito bem treinado em todas as áreas. Sou um nocauteador, busco sempre isso, e dessa vez não vai ser diferente. Mas o meu Wrestling e o meu Jiu-Jitsu estão muito bem ajustados também. O forte dele é o Boxe, mas não sei se ele vai aceitar a trocação comigo. Traçamos uma estratégia e estamos preparados para tudo que ele for fazer. A meta é fazer ele errar e entrar no nosso jogo”, explicou o casca-grossa.

A disputa de cinturão é um dos momentos mais importantes da carreira de um lutador. E não é diferente para Marcel Adur. Apesar de considerar todas as suas lutas importantes, ele confessa que uma disputa de título tem um sabor especial. O catarinense garante que não está ansioso, e faz planos caso venha a se tornar campeão.

“Cada luta que faço é a mais importante. Mas essa tem um gostinho diferente por ser uma disputa de título. Não fico ansioso por conta da luta, graças a Deus fico bem tranquilo. O que me deixa ansioso geralmente é a questão do peso, pois sou muito alto para essa categoria e sofro bastante para bater o peso. O resto é tranquilo. Eu espero sair vencedor dessa luta. Todo atleta de MMA sonha em estar no UFC, é a vitrine do nosso esporte. Mas sou muito feliz no Brave, eles me tratam super bem. Quero fazer história no Brave antes de pensar em qualquer outra organização. O Brave é minha casa hoje e sou muito feliz aqui”, concluiu.